Nesta terça-feira, 21 de maio, primeiro dia da Ecomondo Brasil, a Scania, empresa líder na produção de caminhões, ônibus e motores no Brasil e no mundo, apresentou ao público suas ambiciosas metas mundiais de sustentabilidade no painel “Driving the Shift”, liderado por Paulo Morais, gerente de Projetos de Engenharia e responsável pela área de Corporate Management da companhia.

 

Segundo Morais, o grande objetivo da companhia é demonstrar à sociedade que, para a redução expressiva das emissões de carbono, será necessário o envolvimento de todos os setores que de alguma maneira participam do sistema de transporte. Assim, do revendedor de combustíveis ao público consumidor – e não somente o produtor de veículos – todos deverão participar da cruzada pela descarbonização dos transportes e, como consequência, da própria economia.

 

“A nossa intenção é ser um agente da transformação no mundo dos negócios, viabilizando o transporte sustentável, mas de maneira sistêmica, o que engajaria todos os envolvidos, inclusive nós, os produtores de caminhões, ônibus e motores”, explicou.

O executivo fez questão de reforçar a importância que a sustentabilidade tem atualmente na empresa, que pretende reduzir em 50% as emissões de CO2 em seu processo produtivo, em relação ao ano de 2015.

 

Morais também frisou que, no Brasil, todo o consumo de energia elétrica da fábrica-sede da Scania, em São Bernardo do Campo (SP), já é baseado em fontes de energias renováveis. “Temos hoje, no Brasil, entre 300 e 400 pessoas de todos os setores da empresa trabalhando em projetos considerados de sustentabilidade”, calculou, celebrando o alto número de envolvidos no tema na companhia.

 

 

Parceria bem-sucedida

A gerente de Comunicação Corporativa da Scania, Patricia Acioli, se disse feliz com os resultados do patrocínio da Scania na Ecomundo. “Conhecia a Ecomondo da Europa (na Itália), e quis experimentar a inserção da nossa marca nesta edição”, afirmou. “Acho que foi corajosa a realização deste evento: em geral, em muitos eventos como este, a participação do público quase não existe, e as pessoas nem fazem perguntas nos painéis. Mas achei que aqui foi totalmente o contrário: as pessoas vieram porque queriam ouvir sobre o tema. Vi gente que conhece e que está a fim de conhecimento.”

Patricia elogiou o local, o modelo e nível dos palestrantes e se disse satisfeita com a ação.
“Nossa expectativa (antes do evento) era bem pouca, mas gostei muito desta primeira oportunidade. E a primeira impressão é a que fica”, afirmou, sorrindo. Paulo Morais concordou com a colega de empresa. “O ambiente é muito bom e as pessoas me pareceram interessadas pelo tema de maneira genuína.”

A Ecomondo Brasil acontece até esta quinta-feira no São Paulo Expo.