A feira Ecomondo Brasil, evento internacional que acontece pela primeira vez no país, abriu nesta terça-feira, 21 de maio, no São Paulo Expo, celebrando parcerias entre o poder público, organizações, empresas e sociedades em prol das soluções ambientais.

A abertura do evento contou com importantes participações de Giulio Rossi, diretor da Ecomondo Brasil, do vereador Gilberto Natalini, Patrícia Iglecias, presidente da Cetesb – Companhia de Ambiental do Estado de São Paulo, Eduardo San Martin, diretor de Meio Ambiente do Ciesp/Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), Nelson dos Reis, diretor titular da Fiesp, e Carlos Silva, presidente da Abrelpe, que promoveu os Diálogos Abrelpe – Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais com especialistas do setor em dois painéis (veja mais aqui sobre os Diálogos Abrelpe).

Giulio Rossi agradeceu a presença do público que lotou o auditório, e ressaltou a importância da realização da Ecomondo, num pais como o Brasil, de grande potencial. “O país possui um mercado que pode se desenvolver muito bem nessa área. A sustentabilidade é um dos temas mais importantes para o Brasil”. (veja entrevista completa aqui).

O vereador Natalini saudou a organização do evento e o interesse do público pelas questões ambientais. “Estamos todos ligados na mesma causa. Estou aqui com muito prazer porque sou um ambientalista da Câmara Municipal de São Paulo há cinco mandatos. As pessoas que estão aqui no auditório são parceiros nossos para a construção da sustentabilidade. A feira Ecomondo é um exemplo de que não devemos perder a esperança. É um exemplo de que a defesa do meio ambiente e da sustentabilidade no Brasil e no planeta é possível. A presença da indústria, da economia sustentável faz com que a gente possa viver, ganhar nosso dinheiro, ter uma renda sem devastar e ainda proteger os recursos naturais. Parabéns pelo evento, parabéns aos nos parceiros e a nós que defendemos uma causa justa.”

Para a presidente da Cetesb, Patrícia Iglesias, a Ecomondo é uma grande oportunidade de unir pessoas em torno dos temas ambientais. “Parabéns pela organização de uma feira tão grandiosa que congrega pessoas que estão cuidando dessa pauta do meio ambiente. A atividade econômica se dá com o desenvolvimento, a eficiência é fundamental para a proteção do meio ambiente, aspectos sociais e econômicos. É cada vez maior a presença do setor econômico, tenho participado de diversas agendas e eventos de meio ambiente, inclusive internacionais”, pontuou. A Cetesb, como afirmou Patrícia, vem investindo no trabalho com inovação, desenvolvimento de novas tecnologias e geração de energia a partir de resíduos. “É algo fundamental. Não podemos trabalhar somente a disposição de resíduos. Para a evolução dessa temática precisamos de novas tecnologias. A Lei 12.305/2017 traz âmbitos legais com relação à geração de energia a partir dos resíduos e é utilizada pela Cetesb. Estamos abertos para recebermos as demandas em relação ao licenciamento. Estamos à disposição, procurem a Cetesb e esclareçam as dúvidas. Esse é o nosso foco e temos o foco na eficiência da gestão. Desejo que essa feira seja um sucesso e que possa mostrar novas tecnologias que sejam aplicadas no Brasil. Para progredirmos na gestão de resíduos”, finalizou.

Em sua fala, Eduardo San Martin, da Fiesp, afirmou que a Ecomondo traz um novo marco para a questão ambiental em nosso país. “Por que é importante uma feira? Hoje, uma solução de um problema ambiental, uma redução de impacto só vai ocorrer se for um bom negócio para as todas as partes. Se alguém for prejudicado, não será possível que aquela solução ocorra rapidamente. Não basta a existência de legislação nem previsão dos documentos legais e punições aos que geram impactos ambientais, se não houver um negócio honesto, limpo e transparente entre as partes. Se todos ganharem o negócio terá um ganho ambiental tendo a sociedade como um grande objetivo. Quero cumprimentar a Ecomondo mais uma vez por esse esforço de trazer essa grande feira para São Paulo e para o Brasil.”

O diretor do Departamento de Sustentabilidade da Fiesp, Nelson dos Reis, também frisou a importante participação do setor produtivo. “O grande esforço do setor produtivo, representando pela Fiesp, tem sido feito perante às questões ambientais que estão colocadas. E o trabalho do setor público também é fundamental.”

A abertura do evento e os Diálogos Abrelpe foram um sucesso de público e de crítica. “Tivemos a presença de autoridades do Ministério do Meio Ambiente, do Governo do Estado de São Paulo, da Câmara Municipal, da Federação das Indústrias, da Confederação Nacional das Indústrias, empresários e representantes de município. O auditório estava lotado para tratar do tema de recuperação energética e foi esclarecedora a parte do arcabouço regulatório de recuperação energética de resíduos e tivemos uma apresentação bastante prática dos projetos que estão em andamento”, ressalta Carlos Silva Filho, presidente da Abrelpe. “O público achou válida essa combinação de fatores. No final recebemos inúmeros elogios sobre a nossa discussão. Os visitantes gostaram, ficaram impressionados e animados com a estrutura da Ecomondo Brasil 2019, com a qualidade dos estandes, dos expositores, da diversidade e elogiaram essa iniciativa”, finaliza.

A Ecomondo Brasil, que acontece até a próxima quinta-feira, 23 de maio, no São Paulo Expo, tem como proposta apresentar soluções ambientais para o mercado industrial e contribuir para a atualização de conhecimento e o aperfeiçoamento dos profissionais da área. As principais novidades e tendências deste ano incluem Gestão de Resíduos (Urbano, Industrial e Automotivo) e Energia (Biogás e Biomassa), em um ambiente B2B, atraindo profissionais da indústria, prestadores de serviços, fornecedores de equipamentos, centros de pesquisa e gestores públicos e privados.

O evento acontece simultâneo às feiras Ecoernergy e ExpoBiogás.