Relevos, vernizes, hot stamping e outros recursos gráficos são os mais usados em perfumes e cosméticos

 

A indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos tem uma percepção excelente por parte do consumidor: 95% entendem que os produtos são essenciais e indispensáveis para os cuidados básicos com a saúde, bem-estar e até para a qualidade de vida, conforme a pesquisa mais recente da Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC).

Entre as principais influências no crescimento desse mercado estão a participação crescente da mulher no mercado de trabalho, o aumento da expectativa de vida e o lançamento de novos produtos, além da ampliação da cultura do cuidado pessoal, especialmente entre os homens.

O crescimento médio do setor, de quase 4% nos últimos 10 anos, bem acima da indústria em geral, exige embalagens cada vez mais adequadas às suas necessidades específicas.

“No mundo dos cosméticos, a embalagem é um componente decisivo para a construção da imagem e da personalidade do produto, uma vez que o consumidor não a separa do conteúdo”, explica Fábio Mestriner, designer e consultor da Ibema Papelcartão, terceira maior fabricante de papel para embalagens do país e um dos principias players da América Latina.

“Por isso, elementos refinados, que sugerem luxo e prestígio, como relevos, vernizes, hot stamping e outros recursos gráficos comumente utilizados nas embalagens de perfumes e cosméticos são tão valiosos nesse tipo de embalagem.”