A CS Bioenegia iniciou mais uma fase de implantação de sua usina de biogás com o recebimento de 30 toneladas de resíduos do Ceasa (Centro de Abastecimento do Paraná S/A), um dos grandes geradores da região metropolitana de Curitiba, para comissionar o maquinário e efetuar testes preliminares de funcionamento.

Os resíduos são compostos de embalagens, sacolas plásticas e em sua fração orgânica de restos alimentares, frutas, vegetais, entre outros.

A presidente da CS Bioenergia, Fabiana Campos, conta que o equipamento é um dos mais modernos que existe hoje no mundo e tem capacidade de separar o material inorgânico (inerte) do orgânico.

“A tecnologia implantada é o estado da arte em separação de resíduos sólidos, o moinho de martelo corta, tritura, diluí e separa os resíduos, o que nos permite reaproveitar o máximo da fração orgânica. Após a certificação a usina pode receber diariamente um volume de até 200 toneladas de resíduos”.

Segundo Fabiana, o processo permite a conversão de resíduos que antes eram destinados a aterros sanitários em um ativo energético valioso e reutilizável de maneira sustentável protegendo o meio ambiente.

Na avaliação do presidente da Associação Brasileira de Biogás e Biometano (Biogás), Alessandro Gardermann, a nova etapa de geração de biogás da CS Bioenergia comprova que o setor do biogás no Brasil tem todas as condições tecnológicas de atender às demandas do mercado nacional para geração desse tipo de energia.  “Uma indústria do biogás começa a se erguer e se consolida como uma commodity ambiental”, afirma.