Adoção de tecnologias mais modernas e inovação dos processos produtivos ajuda empresa a alcançar meta de desperdício zero na construção civil

Case de sucesso - Habitar

 

No Brasil, a construção civil é responsável por cerca de 14% do PIB nacional, e também por gerar grande quantidade de entulho e impactos no meio ambiente. Na busca de soluções para este problema, a Habitar Construções Inteligentes criou um projeto de construção de casas com o conceito de sustentabilidade e com melhor aproveitamento dos recursos. O projeto surgiu diante da iniciativa dos sócios da Habitar, que sempre buscaram alternativas para desenvolver uma tecnologia mais eficiente e sustentável para construção de casas e pequenas edificações.

 

Os especialistas desenvolveram uma tecnologia na cidade de Pindamonhangaba, SP, que reduziu o desperdício dos insumos na construção civil dos atuais 35% para menos de 2%; reduziu o tempo de obra em aproximadamente 30%; reduziu os custos da obra em aproximadamente 20% comparado aos sistemas construtivos atuais. O projeto se utilizou de tecnologias mais modernas para a construção civil a fim de alcançar a meta de desperdício zero com a inovação dos processos produtivos neste segmento.

 

Estes resultados foram apresentados na 24a edição do Prêmio Fiesp de Mérito Ambiental, dia 5 de junho de 2018, na sede da Fiesp, na capital paulista, quando a Habitar Construções Inteligentes foi vencedora na categoria Micro e Pequeno Porte. Com quatro anos de atuação no mercado, por meio do projeto “Entulho zero na construção civil”, a Habitarmostrou que utilizou de tecnologias mais modernas para a construção civil a fim de alcançar a meta de desperdício zero com a inovação dos processos produtivos neste segmento.

 

O sistema construtivo desenvolvido pela Habitar é direcionado para casas de um pavimento ou pequenas edificações de até quatro andares. É composto por painéis pré-fabricados mistos de concreto e EPS. As ligações entre eles são feitas por um sistema de ancoragem também desenvolvido pela Habitar. A fabricação desses painéis é feita de forma horizontal onde o mesmo é delineado através de perfis metálicos (perímetros dos painéis) e o preenchimento é feito com armações, malha, EPS e concreto. Toda movimentação dos painéis na fábrica é feita através de pórtico e talha motorizados. O transporte dos painéis até a obra é feito através de caminhão e guindaste.

 

Gustavo Faria, diretor da empresa, informou que ao desenvolver e aplicar este projeto o objetivo foi de aproveitamento máximo e desperdício ínfimo. “É possível sim ter sucesso na parte social e de sustentabilidade”, disse ao reforçar que a empresa está seguindo o caminho certo.